Viajantes Interplanetários

E-MARTE: Cadastre-se para receber nossas novidades em primeira mão!

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

DUAS SEMANAS SEM RECIFE ME DEIXA ASSIM:

Saudade de quem viaja

e/ ou

Exaltação ao Recife nº 1

“Recife
Não a Veneza americana
Não a Mauritsstad dos armadores das Índias Ocidentais
Não o Recife dos Mascates
Nem mesmo o Recife que aprendi a amar depois
- Recife das revoluções libertárias
Mas o Recife sem história nem literatura
Recife sem mais nada
Recife da minha infância [...]”

- Manoel Bandeira -

Lembranças de Recife vêem hoje a cabeça:

o Cais da Aurora – mesmo exalando um bafo

quente e fétido do Capibaribe – seduz-me

com suas evocações de Bandeira

e suas facas de Cabral.

No Paço da Alfândega o escravo agora sou eu:

escravo da livraria que ao meu lado pela saída sul

espera-me como uma doce donzela oferecendo

o mundo em um catálogo.

As recordações do Bairro de São José me fazem até querer

provar mais uma religião e ser um judeu do Pernambuco holandês.

Joaquim Cardozo me convida a um poema em plena ponte Maurício de Nassau,

e na praça da independência dou de cara com o Diário – não o de última hora!

mas o de todas as horas das Américas.

caio na Dantas Barreto e entre tantos sebos

acabo no Teatro Santa Isabel: paradisíaco

templo da arte.

Logo retomo meu caminho pela Avenida Guararapes

onde me assaltam recordações da maior agremiação

carnavalesca do mundo. E se ainda não bastasse tanta grandeza

a Ponte Duarte Coelho dá moradia a um Galo que está mais para Golias.

Salve! Avenida Conde da Boa Vista com seu Cinema São Luiz

onde tantas histórias foram embaladas anos a fora, entretanto

o filme em cartaz de hoje é: SAUDADE DE QUEM VIAJA.


D.Everson/ São Luis-Ma / 18 de jan. 2011

4 comentários:

  1. Esse foi meu passeio mental do Bairro de São José até a Av. Conde da Boa Vista! Recifense de coração e bezerrense de berço! =]

    ResponderExcluir
  2. Um bom filho à casa torna. Depois de tanto reggae maranhense, eis o homem! Saudade só sente quem está longe.

    ResponderExcluir
  3. Atravessa os sentidos como espinha de peixe na garganta!

    ResponderExcluir