Viajantes Interplanetários

E-MARTE: Cadastre-se para receber nossas novidades em primeira mão!

quarta-feira, 23 de maio de 2012

Poetas de Marte


O “Poetas de Marte” é, de longe, o mais criativo espaço da galáxia bloguesferiana, e habitado pelos seres mais interessantes e exóticos de nosso sistema planeternético. Talvez isso se deva ao fato de que ele é um dos mais descontraídos da bloguesfera e que pode e deve ser visitado com baixa expectativa sem medo de decepção. Por outro lado, sua popularidade também pode ser atribuída ao fato que resultou na crença infundada que na sua superfície existam habitantes geniais, o que não é verdade, todos aqui são normais, embora “normalidade” seja apenas um estado de espírito. Ainda que, quem lê Jimmy Marcone, Kleves Gomes e Wagner Morpho, talvez tenha vontade de estender um pouco mais seu conceito de normalidade. Essa suposição ameaça o verdadeiro marciano, ele não quer ser olhado como uma coisa meio monstruosa, um ser com super poderes, uma espécie de Fred Caju bombado com esteróides anabolizantes ou um Daniel Everson cheirando cola debaixo da escada.
Ao telescópio, o “Poetas”, espaço vermelho maravilha da poesia, apresenta uma série de produções que nada têm a ver com Calíope, alguns marcianos são excrescências literárias (um tal de Jair, por exemplo) que se imiscuíram na plêiade de estrelas e produzem “Metamorfoses” que mais se parecem com aliterações aberrantes. Benza deus! Na verdade o “Poetas” está mais para um balaio de gatos almiscarados do que um rio fluido, sonoro e límpido que conduz suavemente mensagens líricas de seus confrades comportados. Embora os marcianos Wesley Moreira e Marcantonio Costa estejam mais para venusianos que pousaram no Planeta Vermelho, são marcianos de primeira linha. Não esqueçamos também que este espaço não é um Clube do Bolinha, existem marcianas sim, Laly Cintra e Aline Negosseki aqui comparecem com seus cromossomos XX para dar toques especiais de estrogênio e progesterona onde há excesso de  testosterona infectando um ambiente que deveria ser saudável.
Incorporada ao imaginário ocidental essa interpretação errônea, criou-se a ilusão que em “Poetas de Marte” poderia haver vida inteligente com todas as possíveis consequências que tal fato acarretaria, nada mais falso, mas Ícaro Tenório e Célio Lima são as exceções que confirmam a regra. O “Poetas” transformou-se na cloaca tipo coração de mãe por excelência para abrigar seres alienados e visguentos providos de antenas, dispostos a saturar a internet com suas produções estranhas e transformar os leitores em cúmplices ou eliminá-los de vez, Oswaldo Paes e Laut Iong Fu estão aí para não deixar dúvidas sobre nossas intenções. Embalados pela aceitação quase passiva de existência desses “homenzinhos verdes de mentes doentias”, vários leitores imaginativos criaram a ficção que neste blogue podem encontrar só marcianos verdadeiros, com aquela bagagem e criatividade que apenas eles têm (como o Cristiano Marcell, por exemplo), contudo, como aqui não se pede documento de identidade à entrada, é possível que entre nós exista alguém de outra galáxia infiltrado, nada que nos tire o sono, porém.
A despeito dos alienígenas intrometidos, temos Lucas de Holanda que é uma honrosa exceção no que diz respeito à autenticidade de sua cidadania, é um marciano nato e de grande talento. Abraços, JAIR.

11 comentários:

  1. Fiquemos em Marte
    Vamos à Marte
    Amarte
    a ti
    poesia
    pois aqui
    tem um universo
    de belos versos
    todo dia

    Homenagem de Cristiano Marcell a este estimado weblog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rápido no gatilho, você, Cristiano, consegue sintetizar nossos sonhos e anseios, parabéns, JAIR.

      Excluir
  2. Jamais imaginei ter a honra de ser lembrado por tão nobre poeta.
    Assim que li meu nome pulei de entusiasmo!
    Imaginem só! Eu que estive sumido, lembrado por um nobre.
    Retribuo o carinho dizendo-te: marciano fostes, és e serás poeta Jair!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Kleves, tenha em mente que você mereceu a citação. Abraços, JAIR.

      Excluir
  3. Jair,

    expresso aqui o que sinto com duas teclas

    :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este texto nasceu depois que comentei teu poema sobre os marcianos. Agora, ampliado e mais extenso inclui todos os marcianos que li. Abraços, JAIR.

      Excluir
  4. Grande Jair!
    Muito bem contextualizado essa tua visão dos "camaradas".

    ResponderExcluir
  5. Daniel cheirando cola debaixo da escola foi a cereja do bolo do Mestre Yoda!

    ResponderExcluir
  6. Valeu, Jair pelo ótimo texto síntese deste maravilhoso blog que é o Poetas de Marte, cujos rubros colaboradores (tal qual o planeta que os inspirou) são realmente de outro mundo!

    Um grande abraço!

    ResponderExcluir