Viajantes Interplanetários

E-MARTE: Cadastre-se para receber nossas novidades em primeira mão!

segunda-feira, 6 de maio de 2013

avant-premiére

diferentemente das tensões associadas às estreias,
estou eu aqui, estreando este espaço que me foi concedido,
sem nenhuma pitada de mãos geladas, dor de barriga ou algo típico de se sentir quando estamos estreando alguma coisa,

ensaio uma publicação neste espaço não é de hoje, mas como para tudo nessa vida há um tempo, eis que chegou o de escrevinhar algo por aqui,

então primeiramente, vamos as apresentações
muito prazer!
sou Diana, as vezes Pessoa, as vezes Gaivota
sou uma analista de sistemas, que adora analisar mas não os sistemas ;)
especialista em informática aplicada a educação e mestre em educação
tenho dois blogs, o simplesmente palavras, onde publico meus escritos poéticos e o fessora diana onde abordo o que me dá vontade
além disso sou motociclista, paraquedista, panteísta e vegetariana,
e agora também escrevo aqui no poetas de marte,

então,
pra não correr o risco de falar demais, fenômeno que geralmente me acontece nas segundas-feira, deixo por aqui um poeminha meu:

by diana pessoa

pranto do rio



há um rio em mim que chora
e seu pranto diariamente me banha
.
de não muito longe
ouço o triste latido
de um cão que está no rio
que jaz no rio
já não é mais cão
é apenas algo inerte intrépido
tão feio
invisível
.
aquele que outrora fora amigo
agora se decompõe em meus olhos
.
o cão e o rio
enquanto vivos
nada sabiam de seu destino
não sabiam da verdade sobre os homens
o rio e o cão
agora vivem a mesma morte
.
nenhum dos dois
poderia supor tão triste fim
dejetos mau cheiro
putrefação
.
nem o cão nem o rio esperavam
que lhes dessem de ombros
que lhes dessem as costas
...
nós somos mesmo tão solitários
que só nos restam os pássaros
as moscas
e o reflexo na lama
.
aquele cão sou eu
aquele rio somos nós
presos em calabouços úmidos
por onde os homens limpos passam
e fecham os olhos
...
by diana pessoa

13 comentários:

  1. Chegou chegando! Bem vinda!
    O texto me lembrou João Cabral, só que vc é bem mais sentimental que o homem calcário. =*

    ResponderExcluir
  2. Seja altamente bem vinda Diana!
    Mais uma saia aqui no Poetas de Marte :D
    Adorei o seu poema.

    Grande abraço :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para manter o equilíbrio também convidamos o amigo poeta António Eduardo Lico prezada mana. =*

      Excluir
  3. Limerique

    Um mundo habitado por egoístas
    Cujas ações ferem alma do artista
    Ferem o rio e matam o cão
    Sem a menor consideração
    Tecnocratas não, sim a pacifistas.

    ResponderExcluir
  4. Também estou presa contigo,
    como dizes, "nestes calabouços úmidos"
    Que bom ter te achado aqui.
    Partilhar poesia contigo será um prazer.

    ResponderExcluir